CuriosidadesPesquisa

JUAZEIRO E PETROLINA PODERÃO CONFERIR ECLIPSE PARCIAL DO SOL NESTA SEGUNDA-FEIRA

Eclipse parcial visto do espaço | Foto: ESA/Royal Observatory of Belgium

Parte do Brasil poderá acompanhar nesta segunda-feira (21) um eclipse parcial do Sol. Segundo informações da Folha de S. Paulo, o fenômeno poderá ser visto apenas nas regiões Norte e Nordeste do país, aproximadamente entre 16h e o pôr do Sol. Em Salvador, a previsão é que o eclipse tenha início às 16h39 e termine às 17h26. O bloqueio máximo do Sol para os espectadores na capital baiana deve ser de 12,6% e deve ser alcançado às 17h17. Especialistas recomendam não olhar diretamente para o Sol para evitar danos à visão. O ideal é usar filtros apropriados. Este será o segundo eclipse visível em território brasileiro este ano. No entanto, fenômeno que aconteceu em fevereiro pôde ser visto apenas nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

O  eclipse solar, deste dia 21 de agosto (segunda-feira), é um dos eventos mais esperados dos últimos anos. Nos EUA, poderá ser observado em boa parte do país e será um mega evento porque é o primeiro eclipse total visível em 38 anos. 

O que é um eclipse solar?

O eclipse solar acontece quando a lua passa entre o sol e a Terra e bloqueia todo ou parte do sol por cerca de três horas, do começo ao fim. Neste tipo de eclipse, o maior tempo em que a lua “tampa” completamente o sol durante seu caminho, em determinada localização, pode ser de 2 minutos e 40 segundos. A última vez que os Estados Unidos viram um eclipse total foi em 1979. Veja na animação abaixo uma projeção do eclipse solar do dia 21 de Agosto.

 

Fonte: Nasa

O eclipse parcial, no qual a lua cobre apenas uma parte do sol, poderá ser visto em qualquer lugar da América do Norte. Para ver o eclipse total, onde a lua cobre completamente o sol por poucos minutos, você precisa estar no “caminho da totalidade”, que é uma linha relativamente fina, com cerca de 70 milhas de largura, que vai cruzar os Estados Unidos de Leste a Oeste.

 

Além dos habitantes dos Estados Unidos e da América do Norte, o eclipse também poderá ser visto parcialmente em partes da América do Sul, África e Europa.

Onde ver nos EUA?

O primeiro ponto do contato será a Lincoln Beach, no estado norte-americano de Oregon, às 9h05 (horário local EUA). A totalidade começará no local às 10h16. Após cerca de uma hora e meia, ela cruzará os estados de Oregon, Idaho, Wyoming, Montana, Nebraska, Iowa, Kansas, Missouri, Illinois, Kentucky, Tennessee, Geórgia, Carolina do Norte e Carolina do Sul. O eclipse total terminará próximo à Charleston, na Carolina do Sul às 2h48. De lá, a sombra lunar deixa os Estados Unidos, às 4h09. Sua maior duração será próximo à Carbondale, Illinois, onde o sol será completamente coberto por dois minutos e meio.

E no Brasil, será que vai dar pra ver o eclipse?

No Brasil, o eclipse da próxima segunda-feira será parcial e poderá ser visto principalmente nas Regiões Norte e Nordeste. Veja na tabela abaixo os locais do território brasileiro que terão a chance de ver o fenômeno:

 

 

Como funciona um eclipse?

Eclipses, sejam solares ou lunares, ocorrem graças aos alinhamentos periódicos do Sol, Terra e Lua. Esse três corpos orbitam no espaço em caminhos muito previsíveis (O sol entra em órbita na galáxia uma vez a cada 200 milhões de anos!). Desde a época de Keplen e Newton, somos capazes de prever o movimento dos corpos planetários com grande precisão.

 

Um eclipse solar acontece quando a lua se move entre a Terra e o Sol. Você até pode pensar que isso poderia acontecer todo mês desde a órbita da lua, que pode estar definida entre cerca de 27 e 29 dias. No entanto, a órbita da lua está inclinada em cerca de cinco graus com relação à órbita da Terra em torno do sol. Não é muito, certo? Sim, mas a lua, em si, está apenas meio grau de largura no céu, o que equivale à metade da largura do seu dedo mindinho mantido no comprimento de seu braço. Sendo assim, às vezes a lua fica muito alta e às vezes muito baixa para causar um eclipse solar. Apenas quando o sol, lua, e Terra se alinham próximos à “linha de nós” – linha imaginária que representa e interseção dos planos de órbita da lua e Terra – é que pode ocorrer um eclipse. O mesmo vale para os eclipses solares e lunares. A situação é de alguma forma única, já que nenhuma outra lua no sistema solar gira em torno do plano da “eclíptica” – o plano orbital da Terra – que os planetas mais ou menos seguem.

 

Quando a lua cobre o sol, ela produz dois tipos de sombras na Terra. A sombra umbral é relativamente pequena no ponto de diâmetro na Terra, na qual um observador pode ver um eclipse total. Já a sombra penumbral é a maior área na Terra, onde um observador pode ver um eclipse parcial. Nos locais, onde a sombra penumbral bate, o sol não fica totalmente coberto pela lua.

 

 

Proteção na hora de ver o eclipse

Uma pessoa nunca deve olhar para o sol diretamente sem proteção adequada. Isso poderia machucar os olhos. Sendo assim, há muitas maneiras seguras de ver um eclipse solar, incluindo a visão direta, cuja é necessário algum tipo de dispositivo de filtragem. Além disso, há a visão indireta, onde uma imagem do Sol é projetada sobre uma tela. Os dois métodos produzem imagens limpas da fase parcial de um eclipse.

 

Colaborou neste texto a estagiária Amanda Sampaio

 

Veja também: Acompanhe a previsão para as regiões brasileiras 

 

 

Foto: Shutterstock
Previous post

ASSEGURADA NA SÉRIE "C" DE 2018, JUAZEIRENSE LUTA PELO TÍTULO DO BRASILEIRÃO SÉRIE "D"

Next post

É DO PIAUÍ A MULHER MAIS BONITA DO BRASIL

farnesio

farnesio

Petrolinense/Juazeirense de Arapiraca-Alagoas, é radialista com passagens pelas Rádios Jornal do Comércio de Garanhuns e Petrolina, Novo Nordeste de Arapiraca, Emissora Rural, Grande Rio AM e FM de Petrolina, Radio Cidade, Nova Indy e atualmente é âncora do Programa Bastidores da Notícia na Rádio Tropical SAT/FM de Juazeiro e editor do BlogQSP.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enter Captcha Here : *

Reload Image