Meio Ambiente

A PRIMAVERA JÁ ERA. JÁ ESTAMOS NO VERÃO

O que esperar do verão 2017/2018?

por Josélia Pegorim/Climatempo

verão começou oficialmente neste dia 21 de dezembro, às 14h28, e vai até 13h15 do dia 20 de março, pelo horário de Brasília. A data e a hora do início e fim das estações do ano são determinadas por cálculos dos astrônomos e não dos meteorologistas. Astronomicamente o Hemisfério Sul passa pelo solstício de verão às 14h28 do dia 21 de dezembro, enquanto o Hemisfério Norte passa pelo solstício de inverno, o que na prática será o dia mais longo do ano esta quinta feira

Climatologicamente as características do verão começaram a ser sentidas no Brasil desde a virada de novembro para dezembro. A organização do corredor de umidade do Norte para as Regiões Centro-Oeste e Sudeste, o estabelecimento da circulação da Alta da Bolívia e a formação da ZCAS – Zona de Convergência do Atlântico Sul – fizeram com que a chuva voltasse a cair forte e volumosa sobre estas Regiões e também sobre parte do Nordeste.

A expectativa sobre o comportamento da chuva e da temperatura é maior em relação ao verão do que nas outras estações. É a chuva do verão que vai garantir o abastecimento de água para o consumo, para a produção agrícola, industrial e de energia hidrelétrica. O calor e o sol do verão movimentam diversos setores da economia.

Situação dos oceanos

A análise da temperatura da água do mar é fundamental para fazer a previsão climática para uma estação.

O oceano Pacífico Equatorial está em La Niña Advisory. Isto quer dizer que a temperatura está abaixo do normal, mas tecnicamente não podemos afirmar que o evento La Niña se configurou. Mesmo sem um La Niña estabelecido, o resfriamento do Pacífico Equatorial terá influência na chuva e na temperatura no Brasil durante o verão 2017/2018 e o efeito é a favor da chuva.

 

No Atlântico Norte já se observa uma tendência de aquecimento próximo da costa norte do Brasil, o que favorece a aproximação das áreas de instabilidade da ZCIT – Zona de Convergência Intertropical -, que é outro sistema meteorológico típico do verão, como a ZCAS, e importantíssimo para a chuva sobre o Nordeste.

Alguns destaques para o verão 2017/2018

  • – A maior parte da chuva no Sudeste e no Centro-Oeste ocorrerá principalmente na primeira metade do verão. Risco elevado para enchentes
  • – Excesso de calor deve ser destaque em fevereiro
  • – O Sul do Brasil, em média, deve ter chuva abaixo da média, mas não será completamente seco
  • – Região Norte terá muita chuva neste verão
  • – Nordeste terá muito calor e pouco chuva, mas áreas produtoras terão chuva suficiente
  • – Grande pressão para pragas e doenças na agricultura

Confira a análise da Climatempo para as condições gerais para o verão 2017/2018 comentadas pelo meteorologista Alexandre Nascimento.

Previous post

MATRÍCULAS PARA OS ALUNOS DA CASA DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE JUAZEIRO ENCERRAM NESTA SEXTA-FEIRA (22)

Next post

CARGA DE AGROTÓXICO ROUBADA É ENCONTRADA ABANDONADA EM ASSENTAMENTO DE PETROLINA

farnesio

farnesio

Petrolinense/Juazeirense de Arapiraca-Alagoas, é radialista com passagens pelas Rádios Jornal do Comércio de Garanhuns e Petrolina, Novo Nordeste de Arapiraca, Emissora Rural, Grande Rio AM e FM de Petrolina, Radio Cidade, Nova Indy e atualmente é âncora do Programa Bastidores da Notícia na Rádio Tropical SAT/FM de Juazeiro e editor do BlogQSP.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enter Captcha Here : *

Reload Image