Segurança

TEMER CONVOCA FORÇAS ARMADAS PARA CONTER PROTESTO DE CAMINHONEIROS

Em pronunciamento disse que manifestantes foram ‘radicais’

 e 

O presidente Michel Temer anunciou nesta 6ª feira (25.mai.2018) que autorizou o uso das Forças Armadas para desobstruir vias bloqueadas pelos protestos dos caminhoneiros. Mesmo após o governo fechar acordo com representantes da categoria na noite desta 5ª (24.mai), as manifestações chegaram ao 5º dia seguido e prejudicam o deslocamento e abastecimento no país.

O presidente fez 1 pronunciamento no Planalto no início desta tarde. A ação será autorizada por 1 decreto editado ainda nesta 6ª feira (25.mai) pelo presidente.

“Quero anunciar que de imediato vamos implantar o plano de segurança para superar os graves efeitos do desabastecimento causados por essa paralisação. Acionei as forças federais de segurança para desbloquear as estradas. E estou solicitando aos governadores que façam o mesmo”, disse Temer.

As forças federais de segurança são compostas pelas Forças Armadas, a Força Nacional, a Polícia Rodoviária Federal e Polícias Militares.

Temer disse que o governo aceitou as demandas feitas pelos representantes dos caminhoneiros e estabeleceu 1 acordo, mas não teve a contrapartida de trégua dos motoristas.

“Atendemos 12 reivindicações prioritárias dos caminhoneiros, que se comprometeram a encerrar a paralisação imediatamente. Esse foi o compromisso conjunto. Esse deveria ter sido o resultado do diálogo. Muitos caminhoneiros aliás estão fazendo sua parte. Mas infelizmente uma minoria radical tem bloqueado estradas e impedido que muitos caminhoneiros levem adiante seu desejo de atender a população”, declarou o presidente.

“Quem bloqueia estradas, age de maneira radical, está prejudicando a população. Será responsabilizado”, declarou.

Temer fez 1 pronunciamento de quase 6 minutos. Falou pausadamente e de maneira dura com os caminhoneiros que ainda bloqueiam as vias. O discurso costumeiro de “diálogo” foi deixado de lado para a linha de “autoridade”.

“O governo teve a coragem de dialogar. O governo agora terá a coragem de exercer sua autoridade em defesa do povo brasileiro”, afirmou o presidente.

COMO SERÁ OPERAÇÃO

O presidente acionou todos os governadores para comunicar da ação. Essa ação terá de ser integrada com as forças estaduais, como as polícias militares.

As ações serão efetuadas em rodovias que são estratégicas para aeroportos que estão desabastecidas de combustíveis. Estão nessa lista: Confins, Brasília, Porto Alegre, Congonhas (São Paulo) e Recife.

O ACORDO

Para convencer os caminhoneiros a cessarem os protestos, o governo se comprometeu, entre outros pontos, a zerar a Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) sobre o diesel até o fim do ano.

A União garantiu também que os reajustes dos combustíveis sejam feitos a cada 30 dias, e não mais diariamente, até o fim de 2018. Estima-se que a compensação financeira da União à Petrobras pela mudança custará cerca de R$ 5 bilhões aos cofres públicos.

Parte da categoria, entretanto, não concorda com as condições negociadas. Nesta manhã, motoristas de caminhões mantiveram protestos em todas as unidades da federação.

Abcam (Associação Brasileira dos Caminhoneiros), por exemplo, diz que insistirá nos protestos até que a alíquota do PIS/Cofins incidente sobre o diesel seja reduzida. A medida ficou de fora do acordo por pressão do governo.

Previous post

SEGUNDA ETAPA DE AVALIAÇÃO DO BAHIA PRODUTIVA FOI REALIZADA EM JUAZEIRO

Next post

O IMPACTO DA FALTA DE COMBUSTÍVEIS NA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA

farnesio

farnesio

Petrolinense/Juazeirense de Arapiraca-Alagoas, é radialista com passagens pelas Rádios Jornal do Comércio de Garanhuns e Petrolina, Novo Nordeste de Arapiraca, Emissora Rural, Grande Rio AM e FM de Petrolina, Radio Cidade, Nova Indy e atualmente é âncora do Programa Bastidores da Notícia na Rádio Tropical SAT/FM de Juazeiro e editor do BlogQSP.