Eleições 2014

ELEIÇÕES 2018: JAQUES WAGNER VOLTA A DEFENDER APOIO A OUTRO PARTIDO SE LULA FICAR FORA DA DISPUTA

por Catia Seabra | Folhapress

Apontado como possível alternativa ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na disputa eleitoral, o ex-governador da Bahia Jaques Wagner voltou a defender nesta segunda-feira (9) o apoio a um candidato de outro partido, caso o petista seja mesmo impedido de concorrer.

“Sou contra escalar um substituto”, disse Wagner, à entrada da reunião do conselho político do partido, em São Paulo, ontem. Frisando que essa é sua opinião pessoal, Wagner afirmou que, se houver interdição ao nome de Lula, o partido deve olhar para os candidatos que estão aí.

O presidente estadual do PT, Luiz Marinho, candidato do partido ao governo de São Paulo, no entanto, disse que, mais do que nunca, Lula é candidato ao Planalto.

Sobre o imbróglio jurídico visto no domingo (8), Wagner disse que o PT não deveria endossar a imposição do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da Quarta Região, em Porto Alegre).

No domingo (8), o juiz plantonista do TRF-4 Rogério Favreto, que já foi filiado ao PT e não tem atribuição direta sobre a Operação Lava Jato, decidiu atender a um pedido de três deputados petistas para libertar Lula sob o argumento de que o ex-presidente, ao ficar preso, tem cerceados seus direitos de pré-candidato à Presidência.

Mesmo em férias, Moro, escreveu um despacho afirmando que não era da alçada de Favreto ordenar a libertação. O juiz plantonista respondeu e houve manifestação posterior do João Pedro Gebran Neto, relator da Lava Jato no TRF-4.

O presidente do tribunal regional, Carlos Eduardo Thompson Flores, foi chamado então a arbitrar o caso e decidiu, à noite, contra o ex-presidente, que continuou preso.

Nesta segunda, o líder do PT do Senado, Lindbergh Farias (RJ), disse que Lula saiu fortalecido do episódio: “O dia de ontem serve para desmascarar o sistema, a parcialidade do [juiz Sergio] Moro”.

O ex-ministro Alexandre Padilha afirmou que a atuação da Justiça, em especial do juiz Sergio Moro, que estava em férias, “agrava a crise institucional no país”.

“Com a decisão de Moro, virou o vale-tudo jurídico. Parece que eles se mijam de medo de Lula se eleger.”

Em janeiro, Lula foi condenado, em segunda instância, a 12 anos e 1 mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro referentes ao caso do tríplex do Guarujá, litoral de São Paulo. O petista está preso desde 7 de abril na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba.

Entre março e abril, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) e o STF (Supremo Tribunal Federal) negaram pedidos de habeas corpus preventivos para Lula

Previous post

ESTUDANTES DA REDE MUNICIPAL DE JUAZEIRO RETORNAM AS AULAS HOJE (10)

Next post

ONG DENUNCIA CRIME AMBIENTAL EM NASCENTE DE AFLUENTE DO SÃO FRANCISCO

farnesio

farnesio

Petrolinense/Juazeirense de Arapiraca-Alagoas, é radialista com passagens pelas Rádios Jornal do Comércio de Garanhuns e Petrolina, Novo Nordeste de Arapiraca, Emissora Rural, Grande Rio AM e FM de Petrolina, Radio Cidade, Nova Indy e atualmente é âncora do Programa Bastidores da Notícia na Rádio Tropical SAT/FM de Juazeiro e editor do BlogQSP.