Polícia

COM PRISÃO DE SUSPEITOS, POLÍCIA CIVIL DE PETROLINA ESTÁ MAIS PERTO DE ELUCIDAR ASSASSINATO DA JOVEM ESTÉFANY

Por G1 Petrolina

A Polícia Civil prendeu na manhã desta quarta-feira (7) dois dos três suspeitos de violentar e matar a adolescente Estéfany Eduarda Nere de Oliveira, de 13 anos, em Petrolina, Sertão de Pernambuco. De acordo com os delegados Magno Neves e Gabriel Sapucaia, responsáveis pelas investigações, o homicídio teria sido motivado pelo abuso sexual da vítima. A garota foi morta na madrugada do dia 13 de outubro e o corpo foi encontrado dois dias depois.

José Henrique de Castro e Luiz Antonio Moura são suspeitos de violentar e matar a adolescente Estéfany Eduarda — Foto: Polícia CivilJosé Henrique de Castro e Luiz Antonio Moura são suspeitos de violentar e matar a adolescente Estéfany Eduarda — Foto: Polícia Civil

José Henrique de Castro e Luiz Antonio Moura são suspeitos de violentar e matar a adolescente Estéfany Eduarda — Foto: Polícia Civil

“Ao que tudo indica, o homicídio decorreu do abuso sexual da adolescente de 13 anos de idade”,afirmou o delegado Gabriel Sapucaia, durante entrevista coletiva na Delegacia de Homicídios.

Os suspeitos presos são: José Henrique de Castro dos Santos, que é casado com uma prima de Estéfany, e Luiz Antonio Moura. Flávio Bernardino de Sena, conhecido como Índio, está foragido. Segundo os delegados, ele é tio da menina.

“Ela tinha uma certa relação, digamos assim, de confiança com um dos suspeitos, o que poderia ter ocasionado esse direcionamento, terem levado ela para aquele local ermo”, diz o delegado Sapucaia.

Delegados apresentaram detalhes do caso — Foto: Emerson RochaDelegados apresentaram detalhes do caso — Foto: Emerson Rocha

Delegados apresentaram detalhes do caso — Foto: Emerson Rocha

Segundo o delegado Gabriel Sapucaia, um dia após a morte de Estéfany, José Henrique teria ido até a casa da avó da garota, agindo com naturalidade. “Ele tem muita intimidade com a vítima, inclusive já morou nessa mesma residência com a esposa, a vítima e a avó da vítima”.

Flávio Bernardino de Sena, conhecido como Índio, está foragido — Foto: Polícia CivilFlávio Bernardino de Sena, conhecido como Índio, está foragido — Foto: Polícia Civil

Flávio Bernardino de Sena, conhecido como Índio, está foragido — Foto: Polícia Civil

Os suspeitos foram encaminhados para o presídio de Petrolina. Eles negam a autoria do crime. “Os acusados negam, mas os testemunhos deles são contraditórios. Um diz que viu o outro em um local, o outro diz que viu um em determinado local. Então, cada um aponta para o outro, no entanto todos se dizem inocentes”, afirma a polícia.

Confira outros pontos da coletiva

Investigações

“As investigações começaram no dia 14 de outubro. O Boletim de Ocorrência (B.O) foi registrado na Delegacia do Ouro Preto, acerca do desaparecimento da menina Estéfany. Posteriormente, no dia 15, ela foi encontrada morta e em estado avançado de putrefação. Com isso, a Delegacia de Homicídio tomou o inquérito pra si e decorreu toda a investigação. Foram realizadas diversas oitivas de testemunhas e outras pessoas que presenciaram a situação. Nesse sentido chegou-se aos três suspeitos”.

“Chegamos aos suspeitos através de testemunhas que presenciaram e viram a menina na companhia dos três suspeitos, na madrugada do dia 13, por volta da 1h a 1h30”.

Prisões

“Nós efetuamos as prisões, fomos até a casa do Henrique, no Vale do Grande Rio, na casa de sua mãe e ele não esboçou nenhuma reação. Em seguida, fomos até o Vale do Chocolate, que é onde residia o “Pretinho”, fizemos a prisão também e, posteriormente, seguimos para a casa do Índio, mas ele se encontrava foragido. Através de informes descobrimos que ele se encontra em outro estado. As investigações vão seguir até que seja encontrado esse terceiro autor do crime que vitimou a Estéfany”.

O caso

O corpo de Estéfany Eduarda Nere foi encontrado em terreno em Petrolina — Foto: Reprodução/ TV Grande RioO corpo de Estéfany Eduarda Nere foi encontrado em terreno em Petrolina — Foto: Reprodução/ TV Grande Rio

O corpo de Estéfany Eduarda Nere foi encontrado em terreno em Petrolina — Foto: Reprodução/ TV Grande Rio

Eduarda Nere de Oliveira, de 13 anos, saiu da casa da mãe no parque São Gonçalo no dia 12 de outubro. A garota disse que ia para casa da bisavó que fica no bairro vizinho, mas a adolescente não chegou no local. Três dias depois, o corpo da adolescente foi encontrado em um terreno no bairro Jardim Imperial já em estado avançado de decomposição.

Previous post

BOM DIA

Next post

ÚLTIMO DIA (08) DE INSCRIÇÕES PARA SELEÇÃO DE ESTUDANTES NO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID) DA UNIVASF

farnesio

farnesio

Petrolinense/Juazeirense de Arapiraca-Alagoas, é radialista com passagens pelas Rádios Jornal do Comércio de Garanhuns e Petrolina, Novo Nordeste de Arapiraca, Emissora Rural, Grande Rio AM e FM de Petrolina, Radio Cidade, Nova Indy e atualmente é âncora do Programa Bastidores da Notícia na Rádio Tropical SAT/FM de Juazeiro e editor do BlogQSP.