Economia

BAHIA NO RUMO DE TORNAR-SE AUTOSSUFICIENTE NA PRODUÇÃO ETANOL E AÇÚCAR

A implantação de um complexo sucroalcooleiro, pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (SDE), projeta tornar a Bahia autossuficiente na sua produção de etanol e açúcar. De acordo com dados do órgão público, nos últimos dez anos o setor teve investimentos de R$ 500 milhões, gerando 6,4 mil empregos, e a perspectiva é de crescer esse panorama.

O vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, João Leão, explica que o cenário se deve ao fato de a SDE vir atuando na prospecção e atração de investimentos no setor, em especial, na região do Médio São Francisco.

Nos últimos dez anos o setor teve investimentos de R$ 500 milhões, gerando 6,4 mil empregos, e a perspectiva é de crescer esse panorama - Foto: Agrovale/Divulgação

“A implantação de um polo sucroalcooleiro será determinante para o desenvolvimento da região, com geração de empregos direto e indiretos, crescimento do IDH e estímulo da atividade econômica que vão efetivamente mudar a realidade do Médio São Francisco. A iniciativa visa incluir o Estado nas estatísticas nacionais de produção de açúcar e álcool. Atendendo à demanda estadual dos produtos derivados da cana-de-açúcar, o polo vai elevar ainda a pauta estadual de exportações”, destaca João Leão.

O gestor da SDE ressalta que a primeira usina, de um total de 11 previstas, está sendo implantada em Muquém do São Francisco. O protocolo de intenções com o grupo Sérgio Paranhos foi assinado em outubro do ano passado, com investimentos de R$ 107 milhões, e possibilidade de gerar 200 empregos diretos. A unidade industrial terá capacidade de produzir 1,9 mil sacas/ano de açúcar, 9,4 mil m³/ano de etanol anidro e 9,4 mil m³/ano de etanol hidratado. “Os chineses também demonstraram interesse no negócio e preveem injetar mais de R$ 2 bilhões em usinas sucroalcooleiras”, disse.

De acordo com dados da SDE, a atual produção baiana de álcool representa apenas 0,93% do cenário nacional. São cinco empresas fabricantes de álcool, o correspondente a 2,1% das fábricas existentes no país. Do total de álcool consumido na Bahia, 80% é utilizado como insumo industrial em três setores principais: produtos químicos (40%), construção civil (18%) e administração pública (8%). A Bahia é o 10º Estado na produção de cana-de-açúcar e sete municípios baianos, localizados nas regiões Sul e Extremo Norte, respondem por mais de 95% da produção de cana, com destaque para Juazeiro e Caravelas.



Previous post

Mega-Sena, concurso 2.154: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio vai a R$ 48 milhões

Next post

ACM Neto defende manifestações de hoje, em apoio a Jair Bolsonaro

farnesio

farnesio

Petrolinense/Juazeirense de Arapiraca-Alagoas, é radialista com passagens pelas Rádios Jornal do Comércio de Garanhuns e Petrolina, Novo Nordeste de Arapiraca, Emissora Rural, Grande Rio AM e FM de Petrolina, Radio Cidade, Nova Indy e atualmente é âncora do Programa Bastidores da Notícia na Rádio Tropical SAT/FM de Juazeiro e editor do BlogQSP.