Artigo

Artigo

UM PONTO COMUM ENTRE OS OPONENTES.

 

As sessões da câmara de vereadores de Petrolina que geralmente são cheias de provocações e divergências, hoje atravessaram mais uma vez a sua rotina de amores e desamores, contudo um coro uníssono foi ouvido quando o assunto foi o bem estar da população petrolinense. Quando os vereadores debateram sobre os problemas estruturais de Petrolina, especialmente o que diz respeito a qualidade das feiras populares, tanto oposição quanto situação souberam debater cuidadosamente o assunto, e então novos rumos foram dados aos tradicionais combates, e todos concordaram em um ponto: a responsabilidade de cuidar do cidadão. È importante perceber que esse deve ser o verdadeiro espírito dos políticos que devem não apenas apontar as falhas de seus adversários, mas principalmente debater com responsabilidade e competência sobre tudo o que diz respeito ao bem estar do cidadão. E se esse é o principal objetivo do legislativo, logo esse diálogo nos debates não deveria ser um caso raro, mas sim uma rotina no trabalho entre oposição e situação.

 

Artigo

Artigo


A LUTA CONTINUA COMPANHEIR(O)


Falar é fácil. Mas, falar antecipadamente sobre as decisões do Partido dos Trabalhadores e, se for à presença da direção estadual, não é tão fácil assim. Foi à leitura e sentimento da platéia que pagou para ver e ouvir se o deputado federal em exercício Joseph Bandeira, aos “berros” reafirmaria que “Salvador não vai ensinar Juazeiro a fazer política”.


Numa mesa composta por autoridades institucionais e políticas, federais, estaduais e municipais, ladeado de um lado por Jonas Paulo o presidente estadual do PT e do outro por Flávio Luís secretário de Gestão Estratégica do município que representava o prefeito Isaac Carvalho (PCdoB), o “destemido” Joseph Bandeira falou de Código Florestal, de União Estável entre pessoas do mesmo sexo, jogou confetes em sua esposa Flor de Maria, citou a base política nacional de sustentação do governo petista, mas, quando quis se empolgar para falar da distribuição dos cargos estaduais e federais ora indefinidos, o deputado federal em exercício, não pôde avançar muito. Queria falar da oposição que ocupa espaços petistas, mas, talvez tenha recuado, ao se lembrar que foi ele mesmo a preterir da presença de companheiros e companheiras petistas nos principais espaços de governo para, dar vez aos seus aliados pessoais, incluindo ai, opositores ferrenhos ao governador Jaques Wagner e a presidenta Dilma Roussef.


Assim, dessa vez, o legítimo encontro organizado e convocado pela executiva estadual do Partido dos Trabalhadores foi conduzido com muita tranqüilidade e sensatez por seus presidente e secretário geral. O tom foi dado por Jonas Paulo que em momento algum, declarou, negou, menos ainda afirmou que, o PT tenha candidato, pior que se, caso o tenha, seja Joseph Bandeira. Lamentavelmente, o GB (grupo josephista) que ora milita no Partido dos Trabalhadores, não pôde mais festejar a candidatura de seu líder, principal opositor ao governo do PCdoB, através do seu filho Leonardo Bandeira (PT).


Risos disfarçados foram percebidos nos semblantes dos petistas e aliados, quando o secretário geral Osmar Galdino alfinetou Joseph Bandeira fazendo-o lembrar que, “antes de discutir cargos, deve-se pensar e trabalhar para aglutinar as forças aliadas”. Música aos ouvidos mesmo, aos aliados presentes, foi ouvir o presidente estadual do PT Jonas Paulo priorizar a unidade da base, nas principais cidades do estado baiano, inclusive Juazeiro, pensando as eleições 2012 e 2014, sem sequer mencionar a candidatura antecipada de Joseph.


Pelo visto, o Encontro Regional do Partido dos Trabalhadores em Juazeiro, organizado e conduzido por seus principais membros da executiva estadual, presidente e secretário geral, veio corroborar a declaração do governador Jaques Wagner, quanto a dar apoio ao candidato que trabalhar unido à base pensando a política macro do estado. Coube ao deputado federal em exercício Joseph Bandeira finalizar mais um dos seus repetitivos discursos, cantando “parabéns pra você” para aniversariante do dia, a sua digníssima esposa Flor de Maria.


Farnésio Silva

Artigo

Artigo

 

Uma vergonha que virou rotina

* Gonzaga Patriota

Quase todos os anos parte da região semi-árida do Nordeste sofre com as constantes secas e, o governo brasileiro gasta milhões e milhões das suas parcas reservas cambiais, com medidas paliativas de fretamento de carros pipa e frentes de emergência.


Nada de ações concretas para conviver com esse fenômeno natural. A história se inverte e, se repete também, quase todos os anos, no litoral nordestino e na região sul e sudeste do Brasil. Santa Catarina, Rio de Janeiro, São Paulo e outros grandes centros urbanos do país, bem como a Zona da Mata, em Alagoas e Pernambuco, são atingidas por fortes chuvas, que causam destruição e mortes.


A imprensa, constantemente, mostra que o governo federal gasta mais na reconstrução de parte dessas cidades, além de pontes, estradas e outros bens de uso público, do que com a prevenção desses desastres naturais, nessas regiões.


Esta semana, a presidente Dilma, atendendo a pedido do governador Eduardo Campos, começou a liberar recursos para políticas públicas de prevenção e convivência com as chuvas na Zona da Mata de Pernambuco, bem como com obras hídricas no sertão do Estado. Isso vai evitar que os pernambucanos vivam o resto das suas vidas assistindo a esses vergonhosos filmes.


* Deputado federal pelo PSB-PE

 

Blogdomagno

Artigo

Artigo

 

O dia que os vereadores de Juazeiro falaram a mesma língua

Emerson Rocha

A câmara Municipal de Juazeiro viveu um momento pouco comum na sessão desta terça-feira (10). Tudo começou quando o vereador José Carlos Medeiros (PV) foi até a tribuna e exibiu a entrevista de um homem em um programa de rádio da cidade. O conteúdo da gravação abalou os parlamentares juazeirense. Sem uso de meias palavras o cidadão que se identificou como Fábio Lima fez duras críticas e acusações aos membros da Casa Aprígio Duarte Filho. Revoltados com o conteúdo da gravação, os edis, sem se importar se era de oposição ou situação, passaram a falar a mesma língua. Em todos os discursos o que se via era a defesa ferrenha dos vereadores de Juazeiro

Eles (vereadores) estavam certos em defender a imagem da Casa? Sim! Afinal, a instituição tem que ser protegida sempre que existam acusações que não possam ser provadas. E o vereador José Carlos Medeiros que levou ao plenário da Câmara a visão indignada de um eleito? Esse agiu de forma correta. Embora a sua decisão não tenha sido bem recebida por alguns de seus pares, os vereadores devem saber que assim como o senhor Fábio Lima, que teve espaço em um veículo de comunicação para falar o que pensava dos edis, muitos Joões e Marias de Juazeiro devem pensar da mesma maneira.

Sobre a atitude do cidadão que procurou um meio de comunicação para dizer o que pensa do legislativo municipal, foi uma ação, com interesses políticos ou não, corajosa! Vivemos em uma democracia na qual todos têm o sacrossanto direito de externar a sua opinião. Agora, temos que ter a responsabilidade e a certeza de que para toda ação existe uma reação.

E a reação do legislativo municipal virá. O presidente da Casa, Nilson Barbosa (PTB), que teve o nome citado na entrevista, foi um dos mais revoltados com as acusações e disse que irá procurar meios legais para responder as insinuações feitas no rádio. Esse, aliás, foi um pedido quase que unânime entre os vereadores.

Porém, o que os vereadores de Juazeiro têm que trazer para a Câmara de vereadores, que é a casa do povo juazeirense, é a Tribuna Popular. Nesse espaço todo homem e mulher dessa cidade que queira defender o interesse do seu bairro e tenha vontade de falar, desde que seja de forma responsável e dentro da lei, o que pensa dos políticos que ele elegeu como seu representante possa expor a sua opinião. A democracia no Brasil só andará quando o povo sair da posição apenas de eleitor. A voz do cidadão tem que ser ouvida, mas sempre com respeito ao próximo.


 

Artigo

Artigo

PT dá tiro no pé

A volta de Delúbio Soares ao PT custará caro ao partido e ao governo Dilma. A refiliação do ex-tesoureiro, um dos principais personagens do mensalão, provocará desgaste na opinião pública. Mesmo cientes disso, o PT e o governo parecem dispostos a pagar o preço.

Por quê?

Delúbio ficou calado durante muito tempo. Não atrapalhou a reeleição de Lula em 2006 nem a vitória de Dilma em 2010. Nos bastidores, apresenta sinais de instabilidade emocional. Não suporta mais o ostracismo. Isso preocupa muita gente graúda no PT. Há petistas que falam em chantagem política, ao descrever a veemência do seu pedido de refiliação.
Outro motivo: o ex-tesoureiro deverá ser condenado por formação de quadrilha e corrupção ativa, crimes aos quais responde no processo do mensalão que tramita no STF (Supremo Tribunal Federal).
O sensato seria aguardar a decisão do Supremo, esperada para o ano que vem. Absolvido, Delúbio poderia pedir a refiliação com forte argumento. Mas ninguém no PT acredita nessa hipótese. Melhor, no cálculo político da sigla, aceitá-lo agora.
Prestes a acontecer, será uma decisão de uma hipocrisia política digna do bordão “nunca antes na história deste país”. É fraca a justificativa de que não há condenação perpétua no Brasil e que, portanto, ele poderia retornar desde que comprometido a ter bom comportamento de agora em diante.
Delúbio não foi para a cadeia. Um partido político decidiu em 2005 que deveria expulsá-lo devido ao papel central no esquema do mensalão. Ora, é um direito de qualquer agremiação escolher quem está apto a integrar seus quadros.
Se refiliá-lo agora, o PT deveria dizer que todo o partido, sem exceções, endossou as ações de Delúbio na tesouraria e que ele foi expulso somente para dar uma resposta política ao eleitorado e não bombardear a reeleição de Lula.
Hoje, a oposição está enfraquecida. O governo parece uma fortaleza. O mais provável é a manutenção desse cenário na próxima disputa presidencial, mas há tempo de sobra para uma reviravolta.
Se tivesse respeito à própria história, o PT diria não a Delúbio. O partido contribuiu para civilizar a política brasileira enquanto empunhou com seriedade a bandeira da ética na política. Mas a legenda não aceita mais ser cobrada pelo padrão ético que ajudou a construir.
Não dá para reescrever a história. É injusto dizer que o mensalão é o maior escândalo de corrupção do Brasil. Inexiste corruptômetro. Mas é justo classificá-lo como o maior escândalo da história do PT e do governo Lula. Delúbio Soares e Marcos Valério são personagens reais de um esquema de compra de apoio político com recursos de origem pública.
No poder central, em nome do pragmatismo, o PT vem dinamitando seu pilar ético para se transformar na maior máquina política do Brasil. Uma pena. Já virou tradição o PT dar tiro no pé quando se sente por cima da carne seca.
*
FATO E VERSÃO
A entrada da Vale no consórcio para a construção da usina hidrelétrica de Belo Monte vinha sendo costurada fazia tempo. Roger Agnelli, de saída da empresa, estava disposto a atender a esse desejo do governo Dilma para preservar a presidência.
Agora, já circula a versão de que ele caiu, entre outros motivos, porque não queria ceder a uma intervenção indevida do governo na maior empresa privada do país.
*
AÍ, NÃO
Se dependesse de algumas pessoas do Palácio do Planalto, Rui Falcão não substituiria José Eduardo Dutra na presidência do PT. Mas a maioria do partido não aceitou outro nome.
É uma demonstração de independência em relação ao governo, o que é bom.

Na campanha de 2010, Falcão jogou no time que abateu, em pleno voo, uma nova alopragem petista.

Artigo

Artigo

PARECE, MAS NÃO É…

 

Petrolina cidade bela com suas ruas e avenidas amplas, verdadeiro ar de capital. Cresce tanto que a cada dia surgem bairros sem estrutura, verdadeiras invasões são terrenos com vários donos.    O centro da cidade parece com a 25 de maio em São Paulo, especialmente na Rua Dom Vital e Avenida Souza Filho. Inúmeros camelôs se acham os donos na situação expõem seus diversos produtos uma verdadeira feira do interior e muito desorganizada por sinal.    Vendedores de CDs e DVDs piratas tomam às calçadas impedindo a passagem das pessoas, com suas caixas de som amplificada uma mais potente que a outra polui o ambiente com musicas e CDs de piadas com conteúdos vergonhosos.   

                                                                     

Achando pouco a bagunça, algumas lojas expõem seus produtos eletro eletrônicos na calçada, lugar que é de direito do cidadão andar.     Onde está a prefeitura para organizar essa comedia de mau gosto?                                                                                               

 

E se alguém acidentalmente danificar determinado produto, ele é obrigado a pagar? Pagar por algo que está irregular?  O crescimento trás consigo conseqüências que deve ser vistas com maior atenção.  O progresso trás abrigo e desabrigado. Trás riqueza e pobreza.  As ruas estão cheias de crianças expostas a todo tipo de abuso, falta uma política publica volta para esses jovens.                                                                                                                                             

 

Para amenizar o problema dos camelos só a concretização do mercado que está incompleto há alguns anos. Onde está o dinheiro? Quando será concluída está obra? Os problemas de Petrolina são sim de uma grande capital.   Já as soluções caminham a passos lentos, exemplo disso é o fornecimento de água.  Poderá até ser no futuro uma capital, mas será carente de organização e planejamento.

 

Parece capital, mas não é.

 

Ass: Gilvan Dias da Silva

Foto: Emerson Rocha/ BlogQSP

 

Artigo

Artigo

 

É bom baixar o fogo do debate

Nas últimas sessões da câmara de vereadores de Juazeiro, os discursos proferidos na tribuna da casa, sob a égide da livre expressão, tem sido extremamente duros, com  relação a administração municipal, indo além do bom debate. Muitas  vezes ultrapassado a linha do bom senso, atingindo o nível da verborréia. Tem sido usadas palavras que vão muito além do”Vossa Excelência”, por vezes escorregando para o chulo. Peraí companheiros !! Tão esquecendo da frase mantra do velho Tché… “que sejamos duros sem perdermos a ternura”. Será muito bom baixar o tom das acusações, sem no entanto deixar de faze-las. Para que assim os argumentos apresentados sejam digeridos de forma a que se tome consciência dos fatos , sem que antecipadamente se faça o pré julgamente e se condene sumáriamente a quem quer que seja. A oposição ao prefeito já mostrou que é competente na fiscalização permanente da adminisgtração, mesmo porque lá estão para isto. Foram eleitos, para por delegação do povo serem seus olhos no acompanhamento ao gerenciamento do municipio. Para esta quarta feira o grupo composto pelos vereadores Zé Carlos Medeiros, Alex Tanury, Neguinha da Santa Casa, Leonardo Bandeira e Roninho, prometem apresentar novas provas da “locupletação” por parte do prefeito Isaac Carvalho do Loteamento onde também foi construído um parque de vaqueijada, pertencente ao alcaide. Que façam isso, pois é obrigação de cada vereador. Agora, torcemos pela elevação do nível do debate, onde as palavras proferidas sejam duras em suas convicções, sem descambar para o rasteiro. Para o bem do povo é bom baixar o fogo do debate, pra que o “bolo” não queime.

Farnésio Silva

 

Artigo

Artigo


ANDAR COM FÉ

 

É esse o sentimento dominante no Juazeiro Social Clube de hoje. Tanto por parte da diretoria como por parte dos jogadores e torcedores. Mas nem sempre foi assim. Não apenas pela permanência da equipe na primeira divisão, muito menos pelo suposto rebaixamento momentâneo, lembrando que alguns clubes do futebol brasileiro caíram para a segunda divisão e voltaram estruturados e deram a volta por cima
Aqueles que como eu, que acompanham esse clube a mais tempo, sabem bem do que eu estou falando. Passamos por muitos perrengues e muitas crises, mas, a maioria delas é claro, fruto de gestões amadoras e/ou descompromissadas. 
O Juazeiro foi muito maltratado, pelos rivais, por seus inimigos invejosos, implacáveis e oportunistas, contando algumas vezes até com certa ingenuidade e também má fé de uns e outros que se travestiram de anjo salvador. Estes, de tudo fizeram para exterminar de vez, calar a voz da maior paixão e glória do futebol Juazeirense. A torcida! 
Mas como somos de fibra, e na vida tudo é cíclico e nada dura para sempre, quis Deus na sua bondade, que as coisas mudassem de rumo e que o feitiço se voltasse contra o feiticeiro. 
O Juazeiro que antes era apenas, dívidas, crises e escândalos, deu lugar a um clube organizado, viável e muito bem administrado. Saneado, mas ainda com muitos problemas de finanças e lutando com dificuldade, mas sendo tudo tratado de forma séria, profissional e responsável. 
Graças a uma diretoria jovem, dinâmica, trabalhadora e principalmente, bem intencionada, encabeçada pelo apaixonado e obstinado tricolor Eládio Rocha, e D. Claudia a quem aqui parabenizo que sem medirem esforços mexeram no bolso, investiram no time comprometendo a sua empresa e sua esposa a quem aqui parabenizo, o clube finalmente procurou encontrar seu caminho de crescimento e seguir nos trilhos. 
Não é preciso enumerar os feitos dessa jovem diretoria, que sem patrocínios e chutando lata, prosseguiu seu caminho de luta, houve promessas de ajuda estipuladaporém na hora ” H” pularam fora, devem até hoje a gratificação pela conquista da segunda divisão 
Erros são inevitáveis a qualquer gestão, críticas também, elas existem e existirão sempre, independente de quem seja o gestor. Todavia, os acertos são muito maiores e mais significativos, a torcida reconhece isso, reconhece tanto, que se dependesse apenas dela, e de alguns colaboradores, ( Calixto,Cacai Matos, D.Claudia , a empresa São Luíz, Zó, Pedro Alcântara que carregou o barco na segunda divisão ) permaneceriam ainda por muitos anos na elite do futebol baiano, e por último a prefeitura Municipal, não temos bandeira política e que assim seja! Temos certeza absoluta que a Federação baiana em breves dias anunciará a permanência do Juazeiro na primeira divisão, coroando com êxito um trabalho merecedor de reconhecimento. Queremos primeiro ver nosso time ser tratado com o devido respeito, crescendo com solidez e responsabilidade, com credibilidade, e um bom elenco de profissionais, disputando mais uma vez a primeira divisão, sendo falado, enaltecido e prestigiado pela grande mídia nacional. 
Quero nosso time vencedor sim, mas quero vê-lo também saneado, longe se possível, das garras, das sujeiras e das artimanhas de quem não tem compromisso com Juazeiro.

Atenciosamente.

Valterlino Pimentel. ( sempre torcedor )

Artigo

Artigo

 

Bastante louvável a iniciativa do secretário de Governo da prefeitura de Lagoa Grande, Jorge Garziera, que levou recentemente à Serra Gaúcha uma delegação do Governo de Pernambuco. Jorge é um dos que sonhou grande o sonho igualmente sonhado por pioneiros, a exemplo do espanhol José Molina, o japonês Mamoro Yamamoto e o velho italiano Franco Pérsico, que começou no ano de 1981, em Santa Maria da Boa Vista, a produção de vinhos com a marca “Vinhas da Milano”.

 

 

A história do hoje segundo Pólo Vitivinícola do país, que responde por 95% das exportações nacionais de uva de mesa e por uma produção anual de 8 milhões de litros de vinhos, remete ao início da década de 90. Tempos do Proder – Programa de Desenvolvimento, Emprego e Renda, que diagnosticou no município de Lagoa Grande a vocação para a vitivinicultura. O passo seguinte foi a organização de uma missão de produtores locais à Serra Gaúcha, para  a participação na Feavin-Feira Internacional do Vinho e de Alimentos, onde a comitiva fez contatos com diversas empresas e garantiu a presença da maioria delas na 1ª Vinhuva Fest,  em 1999, a grande festa  que transformou Lagoa Grande na Capital Nordestina da Uva e do Vinho.

 

 

Dos frutos desta obstinada caminhada, lembramos a construção da Rota do Vinho, ligando os municípios de Lagoa Grande a Santa Maria da Boa Vista. Em fase também de construção, a Enoteca, uma espécie de biblioteca de vinhos que vai referendar os trabalhos dos estudiosos e enólogos de ontem e de hoje. Mas, voltando um pouco mais à história. Em setembro de 2003, os prefeitos da recém criada RIDE – Região Integrada do Desenvolvimento Econômico do Pólo Petrolina-PE/Juazeiro-BA, elaboraram o projeto Turismo Integrado do Vale do São Francisco, um investimento de R$ 2,5 milhões para os municípios de Petrolina, Lagoa Grande, Santa Maria da Boa Vista e Orocó, em Pernambuco e Juazeiro, Curaçá, Sobradinho e Casa Nova, na Bahia.

 

 

Um mês depois, o Sebrae-PE já levava uma comitiva ao Rio de Janeiro, onde este projeto foi apresentado durante o 31º Congresso da ABAV – Associação Brasileira de Agentes de Viagens. Em outubro de 2006, numa ação conjunta entre o Sebrae, Empetur, Ministério da Integração Nacional e os municípios da RIDE, foi lançado em Olinda-PE, o Roteiro do Vinho Vale do São Francisco. Em 2007, o 1º Encontro das Regiões Vitivinícolas da Serra Gaúcha e Vale do São Francisco, em Petrolina, resultava na assinatura de um termo de parceria entre os municípios de Bento Gonçalves e Monte Belo do Sul com as cidades de Petrolina e Lagoa Grande. Por este tempo, os vinhos do Vale foram premiados internacionalmente e no ano passado, o Sebrae  assinou em Petrolina um convênio com o Instituto Brasileiro do Vinho – Ibravin.  Também em 2010, a Faepe viabilizou junto ao Instituto de Propriedade Industrial – INPI, o registro da Indicação Geográfica para a Uva e a Manga do Vale do São Francisco. O Instituto do Vinho Vale do São Francisco – Vinhovasf já começou os estudos para a denominação de origem do nosso vinho. As vinícolas recebem anualmente cerca de 36 mil turistas. O aeroporto de Petrolina aponta um crescimento, de 2009 para 2010, em 32% no fluxo de passageiros. Em outubro do ano passado estivemos na China e no mês passado, realizamos em Petrolina o Encontro Brasil/China, com a presença de representantes da Câmara de Comércio Brasil/China e do presidente da Fecomércio, Josias Albuquerque. Precisamos de mais ações públicas conjuntas de Pernambuco e Bahia, a exemplo do tratamento fiscal diferenciado protegendo nosso vinhos da concorrência de terceiros, face a escala pequena de nossa produção e o que a atividade representa em aspectos sociais. Um protocolo de desoneração de Icms entre os Estados seria o primeiro passo para aumentar a presença dos nossos vinhos nos mais importantes mercados do Nordeste. “In vino veritas”.

 

 

Vice-prefeito de Petrolina-PE

Domingos Sávio Guimarães

Artigo

Artigo

 

Nem só de Pão vive o homem

Ianna Lima

Tragédias naturais, más notícias, aumento no preço da cesta básica, aluguel, água e luz, mudanças nos governos. Esse é o cotidiano do brasileiro, que mesmo com tantas lamentações, ainda arranja tempo para ser alegre, sorrir e se divertir como diz Almir Sater no sucesso Tocando em frente:  “Ando devagar porque já tive pressa e levo esse sorriso porque já chorei demais…”.

Em Juazeiro, a população terá que se contentar apenas com as catástrofes assistidas na televisão, aumento nas taxas de água e esgoto (leia-se SAAE) da cidade, trabalhadores da saúde em greve e, claro, atraso nos salários, digerir isso tudo que faz parte do cotidiano e ainda se contentar em ver as escolas de samba do Rio de Janeiro ou o carnaval de Salvador pela televisão.

O trabalhador que não tem dinheiro para viajar nesse período e curtir o carnaval nas capitais ficará em Juazeiro acompanhando a festa mais popular do Brasil pela televisão, ou poderá buscar programas alternativos, mas que nem sempre poderão agradar. O povo precisa de Pão (obras, ações)? Sim, mas, também é necessário o circo para tornar mais alegre seu dia-a-dia.

 

Decretar que a festa não vai ser realizada é algo drástico demais, principalmente, porque a infraestrutura para que a mesma aconteça é  uma obrigação da gestão pública, seja ela qual for. Os foliões que podem comprar participações em blocos e etc, esses poderão ir a qualquer lugar, mas e a população de baixa renda? Que vão fazer esses que pouco têm e agora não poderão esperar nem essa alegria efêmera?

 

Sim. Há o argumento de que gastar ‘rios de dinheiro’ numa festa é desperdício com o dinheiro público, concordo e parafraseando meu amigo e professor, o jornalista Dadau Barbosa, “Acho que é sensato a qualquer administrador rever planejamentos que não deram certo, reengenhar seus processos, otimizar, reduzir custos. É necessário. Mas acho que a gente vive da frieza das decisões e de emoção também, a gente vive de pão e de alegria também”.

 

Então, proporcionar um pouco de alegria ao povo não é um preço tão alto a se pagar, porque o sorriso é o alimento da alma, e celebrarmos um dia no ano  os pierrôs e as colombinas não fica caro se considerarmos que como o pão alimenta o corpo, a alegria alimenta o espírito, sendo esta um alimento vital.

 

Iana Lima

Juazeirense e jornalista

 

Artigo

Artigo

E NÓS PARA ONDE VAMOS???

Mais uma vez voltamos a utilizar os meios de comunicação da cidade e da região para lamentar o desrespeito com que o atual gestor público vem tratando a nossa cidade. Não gostaríamos de ter que vir aqui falar sobre o desgoverno que ora se apresenta na nossa cidade.

Muitos buracos, lama, sujeira, mau cheiro, cidAade mal iluminada, praças abandonadas, falta d’água em muitos bairros, falta de iluminação em muitos bairros… Enfim, nossa cidade está entregue à própria sorte.

A partir de agora temos apenas um representante na Assembléia Legislativa.  Não acredito que uma andorinha só faça verão, pois o ditado popular diz exatamente o contrário. 

Dois anos se passaram e a popularidade do prefeito que ao vencer as eleições recebeu o aval do povo para gerenciar a nossa terra, caiu vertiginosamente desde o inicio do seu mandato e hoje se comenta que seu índice de rejeição ultrapassa o 82%. Enquanto o ex-presidente Lula deixou o cargo com um índice de popularidade recorde, acredito que o nosso prefeito nos deixará com uma rejeição recorde, ou seja, ambos bateram recordes durante seus períodos de governo.

        E nosso gestor ainda se julga capaz de candidatar-se mais uma vez.

Não acredito que haja tempo suficiente para que ele reverta a situação em que ele deixou a cidade. Reconheço que ele encontrou muitos problemas para serem resolvidos, mas acredito que hoje a situação está muito pior.   Tenho pena do próximo prefeito. Qualquer prefeito que venha a assumir a próxima gestão terá um trabalho gigantesco para deixar nosso município em condições no mínimo, aceitáveis.

Não está dando pra suportar o descaso.  Prefeito aceite um conselho que já se ouve nas rodadas de conversa: entregue o cargo.  Não torne as coisas ainda piores do que já estão.

Como se não faltasse mais nada de ruim nesta administração, numa coletiva fúnebre, ele anuncia que a festa mais popular do Brasil, não acontecerá em Juazeiro, que já foi dona do 5º melhor carnaval do Brasil. Lamentamos que ele tenha abandonado a festa do São João, lamentamos que ele tenha permitido que o nosso representante no futebol, tenha perdido seu mando de campo na nossa cidade, por negligência e incompetência. 

Nesta mesma coletiva ele anuncia que o secretário de cultura deixará a pasta para assumir o mandato de vereador no lugar de um vereador que já presidente da câmara e agora coloca seu nome e seu prestígio em risco ao aceitar administrar uma secretaria que foi o calo desta administração.   Quero mandar aqui um alerta ao vereador Crisóstomo Lima.  Cuidado vereador. Não esqueça que você foi eleito para ser vereador. Seus eleitores por certo não esquecerão que você abandonou a vereança que lhe foi confiada para secretariar uma pasta.  Isto pode lhe custar alguns dividendos políticos no futuro.

            Por falar em futuro…  Que futuro  nos aguarda?

            Com a palavra… O próprio futuro.

Adalberto Cadidé Mariano

Radio Web Juazeiro

 

Artigo

Artigo

 

 

A opção de Dilma pelo varejo

 

Suely Caldas, O Estado de S.Paulo

Tem lógica a estratégia pragmática, que Dilma Rousseff parece decidida a seguir, de priorizar o envio ao Congresso de medidas pontuais em substituição a grandes projetos.

A experiência dos últimos 16 anos de tramitação de reformas e projetos abrangentes na Casa funcionou na gestão de FHC, mas se esgotou com o tempo e Lula tratou de liquidá-la ao institucionalizar o método toma lá dá cá de saciar o inesgotável apetite de parlamentares oportunistas e aproveitadores para aprovar qualquer coisa. Dilma quer trocar o atacado pelo varejo, de preferência sem muito alarde.

Segundo assessores, ela avalia que a aprovação de grandes projetos envolve custos políticos bem maiores do que os benefícios gerados. Por isso prefere fragmentar, identificar carências pontuais, definir prioridades e seguir passo a passo, em vez de tentar aprovar tudo de uma só vez, arriscando multiplicar a ação de lobbies e de seus sócios parlamentares, prolongar indefinidamente a tramitação e transformar as reformas em monstrengos inúteis.

Foi o que aconteceu com as reformas da Previdência de Lula, até hoje não implementada, e a tributária, abandonada. A estratégia do varejo teria também a vantagem de aprovar por lei ordinária e maioria simples matérias relacionadas às reformas, mas que não necessariamente mudam a Constituição, dispensando a maioria de três quintos na votação.

Há lógica no pragmatismo de Dilma. Afinal, ela passou quatro anos assistindo a morrerem projetos de que o País precisa para se modernizar, reduzir o custo da produção e dar eficiência e agilidade ao desenvolvimento.

Agora que chegou à Presidência, ela tem pressa, não quer repetir a experiência fracassada. Mas será que seu método vale para tudo? Há contraindicações?

Leia mais em A opção de Dilma pelo varejo

 

 

Artigo

Artigo

 

A Santa paciência

A empresa Arteleste, deve ser uma das melhores empresas do mundo para se trabalhar pouco. Imagine que com menos de um ano de trabalho, a empresa prêmiou trabalhadores e engenheiros com férias em pleno natal e ano novo mesmo com  o cronograma das obras da ponte atrasado. A lógica seria aumentar os turnos de trabalho, mas o que está se vendo, são alguns poucos funcionários tocando o serviço. Agora, a população de Juazeiro quer saber onde reza no papel (contrato), que engenheiros e trabalhadores teriam férias coletivas? Mesmo diante dos prazos apertados e atrasados, que tem penalizado toda região, diante dos constantes engarrafamentos na ponte, e por conseguinte, no acesso e decesso a Petrolina e Juazeiro. Já dizia o poeta revolucionário, “este é o pais das treitas e empreiteiras”. Enquanto isso, tome-lhe mais atrasos na entrega da duplicação do acesso à Juazeiro, a despeito do primeiro prazo já vencido (mês de dezembro), e que agora passou para março, e vem se arrastando a muitos anos. Quando chegar março que outro prazo será anunciado? Que continuemos tendo a “santa paciência”.

 

Artigo

Artigo

 

O prefeito, o poste e a muriçoca

Existem três tipos fundamentais de governantes. O primeiro, (ideal e raríssimo) estilo Rui Barbosa: honesto e competente. O segundo tipo (muito comum) estilo Maluf: rouba, mas faz. O terceiro (o pior dos mundos) estilo Collor: desonesto e incompetente.

A atual administração de Salvador é uma das piores de toda a história da cidade. Não faltam escândalos envolvendo desvios de milhões, em muitas áreas. Salvador é a 3ª capital do país, cidade turística, linda e uma forte inclinação aos serviços. Como estão as praias?  

Num momento em que mais de 600 pessoas morreram em conseqüência das fortes chuvas no Rio de Janeiro, nossa cidade tem sol em abundância. E qual é a grande obra estruturante que a prefeitura está executando? Substituindo postes de iluminação. Trocando um poste bom, por outro poste bom e gastando inutilmente e de forma suspeita, milhões, que poderiam ser gastos com obras de engenharia de encostas, evitando deslizamentos e mortes nas próximas chuvas, que certamente virão .

As poucas áreas verdes remanescentes estão sendo dizimadas irresponsavelmente, sem nenhuma preocupação ambiental. Um dos resultados mais imediatos desse desequilíbrio ecológico: a cidade está infestada por muriçoca como nunca visto.

Nosso trânsito é caótico, sem transporte de massa eficiente, seguro e barato, restando os automóveis. Salvador é uma das três capitais do Brasil com menor número de veículos por habitante. Curitiba tem três vezes mais veículos que Salvador, mas não tem congestionamento. Por que será?

O TCM, um tribunal bastante tolerante com a maioria dos maus prefeitos da Bahia, detectou sérias irregularidades na gestão do prefeito João Henrique. A Câmara de vereadores tem poder constitucional e moral de iniciar um processo de cassação, para que Salvador não seja aniquilada completamente em mais dois anos de sofrimento para três milhões de baianos.

 

Site: www.bassuma.com.br

Twitter: @bassuma

 

Sem categoria

Artigo

Manoel Cavalcanti

Mudança?

Como é que uma administração faz mudanças no quadro sem dar a minima condição de trabalho?

Pois isso pode acontecer com as prováveis mudanças impostas pelo prefeito de Juazeiro, Isaac Carvalho (PCdoB) previstas para o dia de hoje, durante coletiva de imprensa. O vereador Zó está cogitado para ocupar a secretaria de cultura, esporte e lazer. O secretário Pedro Filho – para fugir dos desgastes e de um provável impeachment – pode ocupar a vaga de vereador. Ele é o primeiro suplente da coligação.

Por outro lado, o secretário “desaparecido” Santos – Ailton Candeias – poderá deixar a secretaria de obras e ir para o Mercado do Produtor.

Agora, fazer mudanças por fazer, sem condições de resolver os problemas da população é complicado. O mais engraçado que restam dois anos para tentar fazer o que não fez. 

Sem categoria

Artigo

 

Ânimo inicial

Hoje, o Brasil tem uma economia forte, um mercado consumidor pujante, novas tecnologias se popularizando, uma presença internacional de peso. Resista à tentação — querida leitora, caro leitor — de pensar no que falta fazer porque essa é uma atitude que aflige demais. Hoje é dia de festa. Deixe esse balanço das tarefas restantes, imensas, pesadas, para depois. Pense no que já foi feito, imagine o que pode acontecer de bom. Acredite, isso tornará seu fim de semana de início de ano mais leve. Você merece. “Tempo haverá, tempo haverá” para as aflições e as urgências, para as cobranças e os desânimos. Mas hoje, pense no muito já feito.

Leia a íntegra do artigo em Ânimo inicial em O Globo.

 

Sem categoria

Artigo

Que o governador não está medindo esforços para emplacar Bezerra Coelho no M.I,  isto é verdade. Mas todo esforço tem um preço ou uma condicionante.  Pelo menos é o que reza a política. Os rumores,  é de que o preço seria FBC ficar longe do processo político em 2012, entrando no circuito o governador. E mais, nem Odacy Amorin, eleito deputado estadual, se consolidando a mais nova força política de Petrolina, nem o deputado federal Gonzaga Patriota, reeleito para mais um mandato, seriam candidatos, pois ambos já tiveram suas oportunidades. Amorim herdou a prefeitura de Bezerra Coelho, e perdeu a convenção em 2008 para Patriota, que por sua vez foi derrotado  nas urnas pelo peemedebista Julio Lóssio. E ainda, foi a terceira derrota de Patriota na disputa pela prefeitura. Quem seria então o candidato do PSB a prefeitura de Petrolina ? Já estão espalhando aos quatro cantos que pela fidelidade e confiança adquirida, seria o ex deputado estadual Ranilson Ramos, atual secretário de Agricultura  de Pernambuco. Fontes também asseguram que o governador Eduardo Campos quer Odacy na Assembleia Legislativa e Gonzaga Patriota na Câmara Federal.

Mas enquanto  o anúncio de Fernando Bezerra Coelho, para o M.I, que deveria ter ocorrido nesta quarta feira, (08) não acontece, fato  que deixou muita gente frustrada, aliás, muita gente mesmo, que  gastou seu dinheirinho para comprar girândolas de fogos de artificio e comemorar, pois dizia-se que impreterivelmente ao meio dia o fato seria consumado não aconteceu, pelo menos é o que se falava nos bastidores políticos de Petrolina. Bem, ainda não foi desta vez, mas Petrolina quer e vibrará se isso acontecer.

…E tome TPM, política.

 

Sem categoria

Artigo

Como se não bastasse o prefeito ter perdido seu primeiro líder de forma traumática (Zé Carlos Medeiros PV),  agora o presidente que sai (Zó PC do B), mostra-se bastante amargurado com o prefeito Isaac  Carvalho, a quem deu todo apoio para elegê-lo,  e não teve contrapartida, quando ele, Zó,  lutou com unhas e dentes, para ser candidato a deputado estadual do partido. Ele foi preterido em favor do ainda deputado Pedro Alcântara (não se reelegeu), que também além de esposo da vice prefeita é pai do secretário de Cultura e Esportes. Outro sinal claríssimo das dificuldades que o prefeito Isaac terá para apreciação das sua matérias ano que vem, ficou patente  na sessão de ontem a noite, quando Crisóstomo Lima (Zó PCdoB) saiu do bloco Trabalho e Coerência e os edís Damião Medrado (PMDB) e Janeleide Pereira (PSL) que renunciaram ao bloco Democrático Liberal.  Ao que parece, o vereador Zó deve ter feita alguma coisa ao prefeito, para ser tão maltratado. Sequer  foi conversado para ser o líder do governo, o que seria uma tendência natural no xadrez  político.  É esperar no que vai dar toda essa desarrumação. Boa coisa por certa não será. O que fizeste Zó?

 

Sem categoria

Artigo

 

Jardim Vitória/Água Bela em Alerta!

Desde o início de outubro, tenho me preocupado com o bem estar da população juazeirense, e visando contribuir com a administração municipal, venho intensificando a fiscalização e cobranças junto ao Poder Executivo no que se refere a serviços públicos, e principalmente, sobre as ações preventivas para evitar as enchentes e calamidades que sempre ocorrem no período chuvoso em nossa cidade. Alguns resultados já podem ser percebidos nas comunidades visitadas, a exemplo do que se observa nos canais do Novo Encontro, Parque Centenário, Lomanto Júnior, Alto do Cruzeiro, Alto do Alencar, João XXIII / Colégio Modelo, Jardim Vitória – próximo à garagem da empresa São Luiz e, agora, em fase inicial, a limpeza dos dois canais que atravessam parte do bairro Alto da Aliança e do Loteamento Jardim das Acácias, próximo à Câmara de Vereadores. No entanto, outras comunidades precisam, urgentemente, serem beneficiadas com as mesmas ações, para evitarmos que famílias passem pelo sofrimento e a humilhação de serem expulsas dos seus lares, quando surpreendidas pela grande quantidade de águas fétidas e contaminadas dos esgotos e canais no período chuvoso.

Em visita ao bairro Jardim Vitória, neste dia 03 de dezembro, mais precisamente no Loteamento água Bela, onde está situado a “famosa” Lagoa de Bosco, o atual panorama é de extrema preocupação. O que se pode perceber é uma comunidade com infra-estrutura comprometida, saneamento inacabado, muito lixo, matagal, iluminação pública deficiente, inúmeros buracos espalhados na avenida principal, ruas intransitáveis, inexistência de calçamento em diversas vias, alto índice de insegurança, principalmente à noite, proliferação de muriçocas, mosquitos, ratos, além de outros  insetos  e animais peçonhentos.

O que mais chama a atenção e preocupa a comunidade no momento, diz respeito à situação em que se encontra a Lagoa de Bosco. A área em questão tem sido utilizada como espaço de desova de cadáveres humanos e de animais, e o que predominam naquele lugar é a fedentina, o acumulo de lixo, entulhos, mato, Taboas e Baronesas; situação essa, que impossibilitará toda a drenagem das águas de chuvas causando assim enchente, transtornos, prejuízos e muito sofrimento para os moradores da comunidade.

Diante do exposto, a polução e o vereador Zé Carlos Medeiros solicitam, ao prefeito e aos seus secretários, ações imediatas capazes de resolver ou minimizar os problemas, ora vivenciados, pela população do bairro Jardim Vitória/Água Bela.

Previous post

Vice prefeito Bedé Rego é expulso do PPS

Next post

Conca "O bola de ouro"

thiago

No Comment

Leave a reply