Sem categoria

Diretores do SAAE e Coelba se explicaram na câmara de Juazeiro, sobre a falta de água e energia

 

A população compareceu em bom número à plenária da Casa Aprígio Duarte Filho, na manhã desta quarta-feira (27) para acompanhar a audiência pública com os diretores do Serviço Autônomo de Água e Esgotos de Juazeiro (SAAE) e da Coelba.  A sessão especial, pedida pelo vereador Alex Tanuri (PSDB), tinha como objetivo obter esclarecimentos sobre a interrupção no fornecimento de água e energia na cidade, durante o período do carnaval.

 

Autor da proposta, Tanuri tinha a esperança de que com essa audiência os problemas com a água e a energia fossem resolvidos em Juazeiro. “No início de março nós vivemos o caos de falta de água em Juazeiro. A gente sabe que existe uma constante queda de energia. E a gente ver uma Coelba que a cada ano faz constante aumento de energia que superam o índice da inflação. Energia e água são dois produtos fáceis de ser vendidos, porque todos nós precisamos. São dois serviços essências e todos nós temos direito”, disse Alex.

 


Os diretores da SAAE e da Coelba tiveram 30 minutos cada para explanar a sua fala. O diretor presidente do SAAE, Joaquim Neto, foi o primeiro a se pronunciar.  Durante o seu discurso Neto optou em usar boa parte do tempo mostrando os avanços feitos no órgão, os reparos e investimentos que foram conseguidos durante o governo Isaac e os planos da empresa para os próximos anos.  

 


O diretor do SAAE deixou os cortes no fornecimento de água na cidade para os minutos finais do pronunciamento.  Joaquim Neto fez questão de frisar que a situação  foi em virtude do problema enfrentado pela Coelba no dia 05 de março.  Segundo explicou Neto, mesmo o fornecimento de energia voltando ao normal é impossível que a água chegue às torneiras das casas no mesmo instante. “Não tem como ter chegado energia 09h30min da manhã do dia oito e às 09h31min todas as tubulações está com água”, afirmou.

 


Já o gerente de departamento de operações da Coelba, Sérgio Melo, foi mais direto durante os 30 minutos que ficou no plenário.  Ele explicou todos os motivos que levaram ao corte do fornecimento da energia em Juazeiro no mês de março. “A história dessa falta de energia começou no dia 5 de março quando nós tivemos a batida de uma retroescavadeira em um dos nossos postes. A batida desse trator provocou a queda do poste e o curto-circuito gerado provocou a queima de um transformador de força”, esclareceu Melo.

 


O gerente também reconheceu os problemas causados pela falta de energia. “Nós reconhecemos que sobre a ocorrência de março houve um transtorno muito grande para a comunidade. Por causa dessa falta de energia houve também falta de água, porque faltou energia na estação de bombeamento do SAAE”, admitiu.

 


Para o público presente na sessão ficou a esperança de que algo de concreto venha a ser feito para sanar de vez os problemas com água e energia em Juazeiro.

 

 

Previous post

FACAPE inaugura Câmara de Conciliação nesta sexta-feira

Next post

Comerciantes de produtos de origem animal e derivados terão que se adequar até Junho

No Comment

Leave a reply