Artigo

HOSPITAL UNIMED DE JUAZEIRO É DENUNCIADO POR MÃE, QUE DISSE TER SIDO TRATADA COM DESCASO POR ATENDENTE; HOSPITAL NÃO TINHA SERINGA PARA APLICAR MEDICAÇÃO NA CRIANÇA

A Jornalista e mãe Thalita Bezerra entrou com contato com a Redação do BlogQSP para denunciar o atendimento no Hospital Unimed Juazeiro. De acordo com ela, precisou de atendimento médico para o seu filho na noite do último sábado (10) e para a sua surpresa foi informada pelas técnicas de enfermagem que estavam de plantão que o hospital não tinha seringa descartável para dar a medicação via oral que foi prescrevida pela médica em seu filho.

“Meu filho passou pela médica e precisou tomar uma medicação via oral, ao chegar na ala da medicação as técnicas em enfermagem queriam dar a medicação com o copinho e eu disse que o mesmo só tomava se fosse na seringa, uma delas afirmou que o hospital não tinha seringa e eu fui e questionei como é que elas estavam aplicando nas demais crianças, me responderam que o hospital proibiu disponibilizar seringas e que eu teria que providenciar”.

Ela contou que de imediato procurou a médica e a mesma disse que iria solucionar o caso. “Passaram mais de 5 minutos e meu filho gemendo com dores e com febre de 39.2 graus e ninguém fazia nada, foi daí que fiquei nervosa e fui mais uma vez perguntar o que iriam fazer e pedi para que as mesmas tentassem a dar a medicação no copo e elas informaram que estavam indo a farmácia e que naquele momento não poderiam dar. Ao voltar da tal farmácia perguntei novamente e elas falaram debochadamente ‘meu amor eu ainda não falei com a médica’, eu respondi pois alguém aqui terá que resolver a situação, um hospital que pagamos muito caro e meu filho não pode ficar nesta situação”.

“Comecei a falar em tom mais alto e elas só respondia que estavam recebendo ordens, e outra funcionária chegou no momento e pediu para eu me acalmar e que iria resolver a situação. Agora me diga um hospital deste porte e nós somos praticamente humilhados, é um absurdo isso acontecer. Se eu estava no hospital é porque meu filho estava doente, caso contrário não teria ido. Aproveito o espaço para pedir um posicionamento da direção do hospital e fazer um apelo aqui para que tenham mais atenção com a vida das pessoas”, acrescentou.

Previous post

Alepe cria frente interestadual em defesa da transposição do São Francisco

Next post

Ação da Polícia Civil em Afrânio e Dormentes prende agiota, traficante e encontra arma

farnesio

farnesio

Petrolinense/Juazeirense de Arapiraca-Alagoas, é radialista com passagens pelas Rádios Jornal do Comércio de Garanhuns e Petrolina, Novo Nordeste de Arapiraca, Emissora Rural, Grande Rio AM e FM de Petrolina, Radio Cidade, Nova Indy e atualmente é âncora do Programa Bastidores da Notícia na Rádio Tropical SAT/FM de Juazeiro e editor do BlogQSP.