Artigo

Maioria dos políticos não consegue “desgrudar” das mazelas do passado

Por Machado Freire – 

O Brasil de hoje tem que pensar e agir melhor, acabando com a idolatria e o endeusamento de figuras que fariam muito bem ao nosso País se vestissem o pijama e nunca mais participassem de disputa eleitorais.

Outra coisa: é prudente que acabem com as “capitanias hereditárias” familiares, que constituem feudos que lembram como nunca os velhos coronéis do mato que controlavam os currais eleitorais.

Também “aposentar” a reeleição e por fim a essas tais “emendas impositivas” que têm um viés bem próximo do “toma-lá-dá-cá”, que na prática se assemelham com a compra de votos. Algo assim extremamente vergonhoso e imoral!

São práticas sem vergonha e atrasadas – irmãs siamesas da nada desejada “compra de voto na folha”, como se fazia na comercialização de algodão e mamona no sertão. Muitas vezes, o agricultor era sacaneado pelo comerciante que impunha um preço aviltado, pelo fato de estar adiantando o pagamento da mercadoria.

Então, com a permanência desses instrumentos da malandragem e da safadeza, estamos no Século 21, convivendo com práticas nefastas de um passado que nos matou de vergonha e que será levado à sepultura de uma política que não contribui em nada para o desenvolvimento social e moral dos homens e mulheres, que devem ser livres para sempre, independentemente quem seja o “controlador de voo” de plantão.

Previous post

Black Friday: Prodecon orienta consumidores sobre compras em Petrolina

Next post

PF prende juiz suspeito de integrar esquema de venda de sentenças na Bahia

farnesio

farnesio

Petrolinense/Juazeirense de Arapiraca-Alagoas, é radialista com passagens pelas Rádios Jornal do Comércio de Garanhuns e Petrolina, Novo Nordeste de Arapiraca, Emissora Rural, Grande Rio AM e FM de Petrolina, Radio Cidade, Nova Indy e atualmente é âncora do Programa Bastidores da Notícia na Rádio Tropical SAT/FM de Juazeiro e editor do BlogQSP.