Artigo

Manuca continua vivo através de seus poemas e poesias

Farnésio Silva

Uma das figuras mais queridas e emblemáticas no meio artístico brasileiro, o juazeirense sergipano, Manuca Almeida, ou simplesmente Manuca, estaria  completando hoje (16) 56  anos, continuará nos brindado ainda por muito tempo, com belas e ainda inéditas criações, deixadas e carinhosamente catalogadas e arquivadas desde os imemoriáveis tempos do “Pedacinho do Céu” na rua da 28, pela sua musa maior,Lucélia Almeida, ou simplesmente LÚ, companheira, com quem tiveram 3 belas filhas, Dandara, Iana e Vitória, todas com profissões artísticas,

Manuca e Lú

A satisfação e o privilégio de ter vivido  desde os anos de 1981, bebendo na amizade e criação poética de Manuquinha e família,  nos dando a honra e o prazer de ter sido um eleito, no círculo de amizade mais próximo do poeta e de sua musa Lucélia, tem nos tocado com uma profunda saudade, dos momentos inesquecíveis embaixo da grande mangueira do quintal, e, sua “partida” deixou em todos nós um tremendo vazio.

Em muitas manhãs e tardes, invariavelmente, ao chegarmos tínhamos sempre uma nova composição pra ser ouvida em primeira mão, um poema ainda rabuscado no papel pra ler e ouvirmos a indagação, ‘e aí tá bom? Ficou legal?’  Sua voz ainda soa em mim.

 

Outro lado de Manuca que poucos tiveram o privilégio de perceber nos últimos anos foi a profunda mudança espiritual da Manuca, o que ficou clara em suas últimas composições, mesmo muito antes de tudo começar acontecer, desde àquela tarde, em que ao subir numa escada para pintar uma parede do muro, caiu e quebrou o tornozelo. A partir dali começava seu padecimento.

Obrigado poeta pelos muitos anos de sua companhia ‘aqui’

FRAGMENTOS DE SUA OBRA

Nascido em Aracajú (SE), morou em São Paulo, Salvador e Juazeiro (BA). Apresentou-se em teatros, bares e casas de shows, declamando poesias com o corpo todo pintado. Teve suas poesias estampadas em produtos comerciais, como camisas e bolsas e ganhou o mais cobiçado prêmio da música mundial, o “GRAMMY”, com a música ESPERANDO NA JANELA

Em 2000, compôs, com Alexandre Leão, a música “Vou pro Barradão”, homenagem ao clube de futebol Vitória, de Salvador, incluída no CD “Vitória 100 anos de glória”.
No mesmo ano, a música “Esperando na janela”, parceria sua com Targino Godim e Raimundinho do Acordeom, gravada por Gilberto Gil ,foi incluída na trilha sonora do filme “Eu, tu, eles”, dirigido por Andrucha Waddington e estrelado por Regina Casé, tornando-se um sucesso nacional, e até internacional.

Em 2001, a música recebeu o prêmio Grammy Latino, na categoria Melhor Música Brasileira. 

No mesmo ano, a sua música “Clareza”, gravada pela cantora Dionorina, foi escolhida, em eleição pela internet, como o melhor reggae nacional. Em seguida, teve as músicas “Tanto tempo”, “Eu não estava só” e “Moderno”, com Alexandre Leão, e “Minha Palavra”, “Eu não nasci de calça jeans” e “Alho no bolso”, com Alexandre Leão e Ivan Huol, gravadas por Alexandre Leão no CD “Minha palavra”, de produção independente.
Ainda em 2001, teve a sua música “Pop zen”, parceria com Alexandre Leão e Lalado, gravada por Ivete Sangalo.

No mesmo ano, o grupo baiano Lampirônicos, no CD “Que luz é essa?”, lançado pela Sony Music, gravou as músicas “Aboio nova era”, com Carlos Vilela, e “Pop zen”, com Alexandre Leão e Lalado.

Também em 2001, teve a música “Meu amor quem dera”, parceria com João Sereno e Targino Godim, gravada por Dominguinhos no CD “Lembrando de você”, lançado pela Sony Music.

Em 2002, lançou, em parceria com Alexandre Leão, o CD/Livro “Versos de amor”. O disco trouxe participações de Roberto Mendes, Márcia Short, Márcio Mello e Carlinhos Cor das Águas. No mesmo ano, Daniela Colla gravou a sua música “Aliança”, parceria com Alexandre Leão e Charles Negrita.

Em 2003, lançou o CD de forró “Eu mais eles”, em que artistas renomados da música nordestina, como Targino Gondim e Jorge de Altinho, cantaram músicas de sua autoria, algumas já gravadas anteriormente e outras inéditas.

Em 2004, a música “Esperando na janela”, de sua autoria com Targino Godim e Raimundinho do Acordeom, foi apontada como uma das mais executadas em palco e em rádios de todo o país, segundo dados do ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição), já tendo sido gravada por 40 diferentes artistas. Como ator, atuou nos filmes “Guerra de Canudos” e “Memórias póstumas de Brás Cubas”. Foi produtor da novela “Marcas da paixão”, apresentada pela TV Record.

Foi coprodutor do filme “Eu, tu, eles”. No mesmo ano, foi entrevistado e divulgou sua poesia no “Programa Jô Soares”, exibido pela Rede Globo de Televisão.De 2003 e 2006, foi o locutor do carnaval transmitido pela Rede Bahia, tendo gravado todas as vinhetas promocionais da rede que inclui a TV Bahia, o Site Bahia, e a Rádio Tropical Sat.

Em 2005, teve a composição “Versos de amor”, parceria com Alexandre Leão, gravado pela cantora Margareth Menezes no CD “Pra você”.  Ainda nesse ano, “Esperando na janela” foi incluída no CD “Os maiores sucessos de São João” lançado pelo grupo Forroçacana.

No mesmo ano, trabalhou na produção do CD “Diversos”, cujo repertório reuniu artistas como Dominguinhos, Targino Gondim, Alexandre Leão, Márcia Short, Marcos Balena, Maria, Jorge de Altinho e Carlos Vilella interpretando diversos gêneros como pop, reggae, romântico e forró. Ainda nesse ano, inaugurou o espaço Quintal do poeta, em Juazeiro (BA), com o intuito de integrar música, poesia e fotografia.

Em 2006, cobriu a Copa do Mundo da Alemanha, pela Rede Bahia, desempenhando o papel do Locutor Fanático por Futebol.  No mesmo ano, a sua composição “Pop Zen”,com Alexandre Leão e Lalado, gravada na voz de Nana Caymmi , Dori e Dorival Caymmi, foi escolhida como música de abertura da novela “Essas Mulheres”, exibida pela Rede Record.

Teve também a sua música “Olhos de grude”, gravada por Margareth Menezes, incluída em trilhas sonoras de novelas no SBT e na Rede Record. Em 2007, a música “Venha pro meu ninho”, outra parceria sua com Alexandre Leão, foi gravada por Chico Salles, no CD “Tá no sangue e no suor”.  Em 2008, a sua música “Esperando na janela”, com Targino Godim e Raimundinho do Acordeom, foi trilha sonora do filme BirdWatchers, dirigido por Marco Bechis. Na mesma época, a música também foi selecionada para a trilha sonora da novela “Água na boca”, exibida pela Band.

Em 2011, realizou shows poéticos por todo o Brasil e teve mais de 50 músicas gravadas.Em 2012, teve a sua música “Pop Zen” (c/ Alexandre Leão e Lalado) gravada no CD/DVD “Acústico MTV Arnaldo Antunes”, que comemorou 30 anos de carreira do artista. O álbum teve produção musical de Liminha e participação especial de Nina Becker e Moreno Veloso.

Previous post

Saiba por que os caminhoneiros entraram em greve nesta segunda-feira; ouça os áudios

Next post

Dom Malan, dos Bororos à Catedral

farnesio

farnesio

Petrolinense/Juazeirense de Arapiraca-Alagoas, é radialista com passagens pelas Rádios Jornal do Comércio de Garanhuns e Petrolina, Novo Nordeste de Arapiraca, Emissora Rural, Grande Rio AM e FM de Petrolina, Radio Cidade, Nova Indy e atualmente é âncora do Programa Bastidores da Notícia na Rádio Tropical SAT/FM de Juazeiro e editor do BlogQSP.