Pesquisa

Univasf e universidade da Noruega pesquisam planta nordestina para o combate a covid-19

Já imaginou que a cura ou tratamento da covid-19 pode estar plantado no seu quintal ou no vaso da sala? O cordelista Carlos Aires mostrou, em versos e prosas, a riqueza e diversidade das plantas da caatinga: “Eu por ser um catingueiro, vou falar do seu bioma. E pra isso me transformo, num biólogo sem diploma…”. Os cientistas, estes devidamente diplomados, levaram a sério o cordel e descobriram algo que pode ajudar no combate ao vírus que parou o mundo. Plantas da caatinga, encontradas nos jardins sertanejos, se tornaram objetos de pesquisa para a criação de novos medicamentos no combate ao coronavírus.

A largada foi dada pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas de Plantas Medicinais (Neplame) da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). Além da instituição genuinamente nordestina, a Universidade de Bergen, da Noruega, também entrou no projeto. Pesquisadores das duas instituições  encontraram moléculas em algumas plantas nativas do Nordeste com potenciais suficientes para inibir o vírus causador da pandemia.

Entre as espécies, duas famílias de plantas chamam atenção. Uma delas, inclusive, foi coletada em solo baiano, na cidade de Jaguarari, a 400 km de Salvador: a  Annonaceae (da mesma família da pinha e da graviola). As plantas da família  Passifloraceae, como o maracujá, também são analisadas no estudo.

Insumo
A pesquisa  tem ainda outra importância. “Um estudo como este  serve como pilar na criação de insumos farmacêuticos para medicamentos e vacinas. Investindo na ciência, nosso país tem potencial para exportar insumos, reduzindo a dependência externa, como tivemos com os chineses e indianos na produção de vacinas contra o coronavírus. Sem ciência, não existe futuro”, ressalta o coordenador.

Para o botânico Ricardo Cardim, o Brasil tem potencial para ser o número 1 na fabricação natural de insumos, medicamentos e vacinas para diversas doenças, não apenas contra o coronavírus. O problema é que nós mesmos estamos destruindo esta capacidade.

Jaguarari Notícias

Previous post

Ambulantes serão retirados do entorno do camelódromo de Juazeiro

Next post

Último dia para Candidatos inscritos no Processo Seletivo da Educação de Juazeiro enviar documentação

farnesio

farnesio

Petrolinense/Juazeirense de Arapiraca-Alagoas, é radialista com passagens pelas Rádios Jornal do Comércio de Garanhuns e Petrolina, Novo Nordeste de Arapiraca, Emissora Rural, Grande Rio AM e FM de Petrolina, Radio Cidade, Nova Indy e atualmente é âncora do Programa Bastidores da Notícia na Rádio Tropical SAT/FM de Juazeiro e editor do BlogQSP.