Política

Fim do registro de jornalista em MP desagrada Maia e Alcolumbre, diz Rebelo

Uma das cláusulas da Medida Provisória do Contrato de Trabalho Verde e Amarelo foi tema de conversa entre o ex-ministro Aldo Rebelo (SD-SP) e os presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AP).

O texto derruba a necessidade de registro profissional para jornalistas. “Eles receberam [a informação] com surpresa, e não ficaram satisfeitos”, afirmou Rebelo. O político comentou o assunto em sua conta no Twitter. Procurado pelo Poder360, não quis cravar, mas avalia que a chance de o trecho cair no Congresso é grande.

Receba a newsletter do Poder360

O ex-ministro falou pessoalmente na tarde desta 4ª (13.nov.2019) com Maia, a quem mostrou nota da Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas) sobre o assunto. Com Alcolumbre, a conversa foi por telefone.

Rebelo argumenta que o fim do registro deixará caminho aberto para qualquer “aventureiro”, inclusive propagadores de notícias falsas. “Isso depõe contra o jornalismo”, afirmou.

Atualmente, Aldo Rebelo não tem mandato, mas segue sendo 1 interlocutor de políticos importantes. Ocupou cargos relevantes nas eras Lula e Dilma, inclusive a presidência da Câmara (de 2005 a 2009). Já atuou como jornalista e redator.

Previous post

Guarda Civil prende jovens com drogas e celulares em Petrolina

Next post

após fazer falsas acusações, Governo já desembarca da tese de que navio grego despejou petróleo no mar

farnesio

farnesio

Petrolinense/Juazeirense de Arapiraca-Alagoas, é radialista com passagens pelas Rádios Jornal do Comércio de Garanhuns e Petrolina, Novo Nordeste de Arapiraca, Emissora Rural, Grande Rio AM e FM de Petrolina, Radio Cidade, Nova Indy e atualmente é âncora do Programa Bastidores da Notícia na Rádio Tropical SAT/FM de Juazeiro e editor do BlogQSP.