Polícia

Polícia de PE indicia 10 pessoas por sequestro com resgate em criptomoedas

A PCPE (Polícia Civil do Pernambuco) indiciou 10 pessoas pelo sequestro de um empresário em que o pagamento do resgate foi pedido com criptomoedas. Especificamente, a BitCoin. É a primeira vez que esse tipo de exigência em uma operação criminosa acontece no Brasil. O sequestro aconteceu no dia 10 de março de 2021, em um edifício empresarial de Boa Viagem, no Recife.

A vítima foi um empresário, sócio de um banco digital, que faz operações com criptomoedas. Já o líder da quadrilha é um gestor financeiro com especialização em Economia e ex-estagiário da Caixa Econômica Federal.

De acordo com o delegado que conduziu a investigação, Paulo Berenger, do Grupo de Operações Especiais de Pernambuco, os sequestradores “pediram uma quantidade absurda de criptomoedas durante o sequestro e negociaram com os sócios da empresa e com os familiares do empresário”.

Segundo a investigação, para receber o pagamento, foram disponibilizadas carteiras digitais falsas.

“Eles vendem as criptomoedas por um valor abaixo do mercado e começam a negociar dessa forma. Supondo que eles conseguiram o valor de um milhão de reais, por exemplo, eles venderiam por R$ 500 mil na darknet”, explica Berenguer, referindo-se ao segmento criminoso movimentado pela internet.

Segundo Berenger, os criminosos compraram 4 carros de luxo depois do sequestro. Os aluguéis de automóveis por meio do PIX, o sistema de pagamento em tempo real, facilitaram a identificação dos autores do crime.

Segundo o investigador, “o grupo apresentou muitas falhas na execução do sequestro, e todos os suspeitos foram identificados”.

Para Berenger, “o que chamou a atenção da investigação foi a facilidade com que os sequestradores ingressaram no prédio empresarial”. Nas investigações, foram encontradas evidências de que um manobrista recebeu R$ 7 mil para permitir a entrada dos criminosos, com a vítima, no prédio.

Previous post

Servidores da Prefeitura de Juazeiro participam de curso sobre licitações e contratos

Next post

Precedente perigoso: Exército cede e decide não punir Pazuello por participação em ato pró-Bolsonaro

farnesio

farnesio

Petrolinense/Juazeirense de Arapiraca-Alagoas, é radialista com passagens pelas Rádios Jornal do Comércio de Garanhuns e Petrolina, Novo Nordeste de Arapiraca, Emissora Rural, Grande Rio AM e FM de Petrolina, Radio Cidade, Nova Indy e atualmente é âncora do Programa Bastidores da Notícia na Rádio Tropical SAT/FM de Juazeiro e editor do BlogQSP.